A inauguração da restauração da Fortaleza do Morro de São Paulo contou com as presenças do governador Rui Costa e do Prefeito Ricardo Moura .

 

Na manhã deste sábado (20/01), o Governador Rui Costa esteve visitando a região do baixo sul, onde cumpriu agenda em Morro de São Paulo no município de Cairu e realizou na presença de Prefeitos da região a inauguração da restauração da Fortaleza do Morro, momento no qual também, recebeu o Título de cidadão cairuense.

O Governador desembarcou no aeroporto de Valença por volta das 9h50min na companhia da Senadora Lídice da Mata, do Ex-Governador Jaques Wagner, do deputado estadual Rosembergue Pinto e do Comandante Geral da Polícia Militar Coronel Anselmo Brandão, eles foram recebidos pelo Prefeito de Valença Ricardo Moura e o Major Alexandre Costa comandante da 33ª CIPM e comitiva, também marcaram presenças o prefeito de Cairu Fernando Brito e comitiva cairuense. Após entrevista exclusiva concedida ao repórter da rádio Rio una, Ademilton Ferreira, o Governador falou sobre a importância da restauração daquele patrimônio, o investimento ali aplicado e destacou ainda o fato de ter sido procurado pelo Prefeito Ricardo Moura onde lhe foi solicitado o devido aumento no efetivo da segurança, bem como mais viaturas, o que segundo o Governador foi autorizado imediatamente visando levar mais segurança para toda à comunidade.

Logo após, o Governador juntamente com os Prefeitos de Valença e de Cairu seguiram em comboio para o Morro de São Paulo onde uma multidão já os aguardavam. Um dos mais belos cartões postais do Brasil e visitado por turistas do mundo inteiro Morro de São Paulo, na Ilha de Tinharé, em Cairu, faz parte da história do país. Descoberto em 1531 e também palco da Segunda Guerra Mundial, onde nazistas naufragaram navios. A fortaleza reformada foi construída em 1630 para proteger o povoado das invasões na barra falsa da Baía de Todos os Santos, o monumento é procurado, inclusive, por quem quer apreciar o pôr-do-sol. Tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), desde 1938, a obra teve investimento total de R$ 14,4 milhões.

“Esse patrimônio soma-se a toda uma história e está vinculado, assim como outros equipamentos na Bahia, à independência do país. É importante que a gente destaque esses equipamentos, que, ao longo da existência e da consolidação do Brasil como nação, serviram como um instrumento para nossa defesa. E foi isso que fizemos aqui na Fortaleza de Morro de São Paulo. Aqui vamos elaborar um plano de uso e gestão, para que ele seja autossustentável, como acontece em outros lugares do mundo”, revelou Rui

.

 


Comentários fechados.

Notícias Relacionadas