Cícero marca, Grêmio bate o Lanús e sai na frente na decisão da Copa Libertadores

Cícero marca, Grêmio bate o Lanús e sai na frente na decisão da Copa Libertadores

Com as estrelas do meia Cícero e do técnico Renato Gaúcho em alta, o Grêmio saiu na frente na luta pelo seu terceiro título da Copa Libertadores. Nesta quarta-feira, em um jogo tenso disputado na Arena Grêmio, em Porto Alegre, o time brasileiro derrotou o Lanús, da Argentina, por 1 a 0, na partida de ida da final da competição continental. A vitória dá uma vantagem ao Grêmio para o confronto da volta, na próxima quarta-feira, às 21h45 (de Brasília), no estádio Ciudad de Lanús – Néstor Díaz Pérez, na cidade de Lanús, na região metropolitana de Buenos Aires. O time gremista joga pelo empate e qualquer derrota por um gol de diferença levará a decisão para a prorrogação e, se necessário, disputa por pênaltis. No duelo da próxima semana, os dois times terão desfalques. No Grêmio, o zagueiro argentino Kannemann recebeu o terceiro cartão amarelo e o mesmo aconteceu com o defensor Braghieri, do Lanús. Em campo, como era de se esperar de uma final, muito equilíbrio no meio de campo, muita marcação e pouca ação ofensiva. O primeiro chute a gol, do Grêmio, só saiu aos 17 minutos. E a bola nem foi para a meta defendida pelo goleiro Andrada na batida de Luan, pois passou por cima. O que enervava mesmo todos os jogadores era a passividade do árbitro chileno Julio Bascuñan em vários lances mais fortes que poderiam ter, ao menos, uma advertência, mas nem isso o juiz fazia. O primeiro cartão amarelo – para Acosta, do Lanús – só foi ser mostrado na metade da etapa inicial. Frio e calculista, o Lanús se fechava bem em sua defesa e buscava algo no ataque com o veterano atacante José Sand ou em jogadas de bola parada. E as melhores oportunidades apareceram deste jeito, aos 33 e aos 39 minutos, com Martínez e Braghieri. Nas duas, o goleiro Marcelo Grohe fez defesas milagrosas para evitar o gol do Lanús.

Para a segunda etapa, o técnico Renato Gaúcho pediu mais velocidade aos seus jogadores, mas a proposta do Lanús se manteve e os espaços para o Grêmio foram poucos. Tanto que a primeira oportunidade de gol foi em um chute de fora da área do lateral-esquerdo Bruno Cortez, aos 13 minutos. O goleiro Andrada voou e fez uma bela defesa. Com tanta dificuldade, Renato Gaúcho não demorou para fazer as três substituições em um curto intervalo de tempo. Everton, Cícero e Jael entraram nos lugares de Fernandinho, Jailson e Lucas Barrios, respectivamente. E a estrela do treinador gremista apareceu. Aos 37 minutos saiu o gol. Após bola levantada na área por Edílson, Jael tocou de cabeça para Cícero, que desviou com um leve toque com o pé direito. A bola foi em cima de Andrada, que não conseguiu fazer a defesa e a viu entrar na sua meta. A partir daí, mais nervosismo e pouca coisa de útil no ataque. Os jogadores do Lanús preferiram provocar os gremistas, o árbitro ficou perdido com tanta reclamação dos dois lados e o jogo acabou no 1 a 0 mesmo para o Grêmio. Após o apito final, ainda sobrou empurra-empurra entre os jogadores.


Comentários fechados.

Notícias Relacionadas