Atingido pela Lava Jato, PSDB pensa em se ‘refundar’, afirma jornal

Uma ala avalia a ideia de refundar o PSDB para recuperar a imagem da sigla até a eleição de 2018, após os principais nomes do partido serem atingidos pela Operação Lava Jato. Segundo a Folha de S. Paulo, parte do comando da sigla, incluindo nomes ligados ao presidente nacional Aécio Neves, passou a defender que o PSDB reconheça “erros”, principalmente em relação ao financiamento de campanhas, e reforce compromissos éticos e bandeiras liberais.

 

Nas últimas semanas, dois tucanos procuraram Fernando Henrique Cardoso para discutir o assunto, e o ex¬presidente, segundo esses aliados, se mostrou favorável à estratégia de “retorno às origens éticas e ideológicas”. Ao mesmo tempo em que nomes históricos da sigla foram implicados na operação, começaram a ascender nas pesquisas eleitorais candidatos vinculados à antipolítica, como o deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ), o que tem começado a retirar parte do eleitorado tucano.

 

Para os que pretendem a refundação, o PSDB foi gravemente ferido pelas suspeitas lançadas contra seus quadros na Operação Lava Jato por ter portado, desde o escândalo do mensalão, um forte discurso ético contra o PT.

A ideia desses dirigentes é colocar o plano em prática já no segundo semestre deste ano, tempo considerado suficiente para amenizar o desgaste da legenda para as eleições de 2018. Isso, entretanto, não recebeu o aval de toda a cúpula do partido. Pesquisas internas levadas há cerca de um mês ao comando da sigla mostraram que a crise política desencadeada pelas revelações da Lava Jato e o apoio da sigla ao governo Michel Temer distanciaram o partido de seus eleitores. BN


Atores da Globo criticam reformas trabalhista e da Previdência na web

Atores da Globo criticam reformas trabalhista e da Previdência na web

Atores da TV Globo criaram uma campanha na internet para criticar as mudanças propostas pelas reformas trabalhista e da Previdência. Alinne Moraes, Paulo Betti, Nathalia Dill, Tata Werneck, Herson Capri e outros famosos utilizaram seus perfis nas redes sociais para publicar fotos com as carteiras de trabalho. Os famosos utilizaram as hashtags #somoscontraareformatrabalhista e #nãodecidampornósporquetemosvoz. A reforma da Previdência está prevista para ser votada no plenário da Câmara nesta quarta-feira (3). “Desde os meus 17 anos, contribuo com a previdência. Pago todos os meus impostos. Me sinto um idiota por não ter nada de volta, porém sou um burguesinho, sempre dopado pela minha condição de ter um salário muito acima da média. Mas não posso omitir, como cidadão, a minha opinião a respeito da REFORMA DA PREVIDÊNCIA”, escreveu Lúcio Mauro Filho, no Instagram. “O trabalhador merece respeito! Afinal, é ele que faz o país andar!”, publicou Nathalia Dill. A reforma trabalhista proposta pelo governo do presidente Michel Temer foi encaminhada nesta terça-feira (2) à Comissão de Assuntos Sociais (CAS) e à Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado Federal.


Rússia proíbe Testemunhas de Jeová por serem ‘extremistas’

Rússia proíbe Testemunhas de Jeová por serem ‘extremistas’

O Ministério da Justiça da Rússia condenou e suspendeu nesta quinta-feira (20) todas as atividades religiosas das Testemunhas de Jeová definindo a organização como “extremista”, informou a agência “Tass”. No último dia 15 de março, a Suprema Corte do país informou ter recebido a ação do ministério. Com a aprovação do processo , os fiéis da Rússia também terão seus donativos confiscados ao Estado. Segundo membros religiosos, eles poderão perder as propriedades usadas para adoração e quase 400 entidades jurídicas no país poderão ser dissolvidas. A organização religiosa afirmou que irá recorrer a decisão. No entanto, cada um dos mais de 170 mil testemunhas de Jeová poderá ser processado criminalmente apenas por se reunir para adoração, ler a Bíblia em grupo ou falar sobre sua fé. (ANSA). (Isto É)


Governo Temer prever que salário mínimo deve subir para R$ 979 em 2018

Salário mínimo deve subir para R$ 979 em 2018
O salário mínimo previsto para o ano de 2018 é de R$ 979, de acordo com o anúncio do minstro de planejamento, Dyogo Oliveira, nesta sexta-feira, 7. A informação foi divulgada duranite uma entrevista coletiva para apresentar o Projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias (PLDO) de 2018.
Segundo a Band News, a expectativa é que em 2019, o salário alcance R$ 1.029 e 1.103 em 2020. “É um resultado da aplicação da regra atual”, afirmou Dyogo Oliveira.

Aos 72 anos, Ronaldo Ésper se converte e abandona homossexualidade

Aos 72 anos, Ronaldo Ésper se converte e abandona homossexualidade

Famoso no Brasil pelas suas participações em programas de TV, o estilista Ronaldo Ésper teve uma grande mudança de vida aos 72 anos. Ele revela que deixou de ser homossexual após ter se convertido. Em entrevista a Daniela Albuquerque, no programa Sensacional, que vai ao ar neste domingo, 26, na RedeTV!, ele fala sobre o quanto sofreu na vida por causa de sua sexualidade. Contudo, tudo mudou ao encontrar amparo na Igreja Universal. “Estou muito feliz de estar lá. Há alguns anos eu estava à beira do suicídio, se não tivesse sido acolhido da forma que fui, teria me matado”, revelou. Ésper disse também que não gostaria de ter um filho homossexual. “Depois de um período de crise muito grande, parti para outra direção na minha vida. Hoje não sou mais homossexual, por força da minha vontade, porque ninguém se cura disso”, garante. Durante a entrevista ele deixou claro que não irá mudar a forma como se expressa. “Outro dia um pastor me falou: ‘mas e os trejeitos?’ Eu falei: ‘pastor, os trejeitos não vai ter jeito, né?”. Ele garante que sua conversão “é pra valer”. Dizendo saber que será criticado pela sociedade, principalmente pelo movimento gay, afirmou que não “dá a mínima”, pois ser ex-gay não é crime.


Mais de 2,5 mil municípios aderem ao Programa Criança Feliz

Mais de 2,5 mil municípios aderem ao Programa Criança Feliz

 

O ministro do Desenvolvimento Social e Agrário, Osmar Terra, informou hoje (10), na capital paulista, que, até o momento, 2.529 municípios aderiram ao Programa Criança Feliz do governo federal. Ele disse ainda que serão destinados R$ 400 milhões de recursos neste ano para os governos participantes e que pretende alcançar R$ 1,5 bilhão no Orçamento do próximo ano. Até o final de 2018, espera-se atender 4 milhões de crianças. As informações foram apresentadas no Palácio dos Bandeirantes em evento de adesão do governo de São Paulo ao programa. No estado, serão 220 cidades. Lançado em outubro de 2016, o Criança Feliz tem, entre os objetivos, apoiar e acompanhar o desenvolvimento infantil na primeira infância até os 3 anos. No caso de crianças em situação de vulnerabilidade ou de necessidades especiais, esse apoio poderá se estender até os 6 anos de idade. O programa ajudará também as mães e a família na preparação para o nascimento da criança, ainda na fase de gestação, e, posteriormente, com o desenvolvimento de atividades lúdicas envolvendo outros membros da família. “É um programa que orienta e acompanha as famílias com crianças de até 6 anos. É um instrumento para que os pais estimulem o desenvolvimento cognitivo e psicossocial dos filhos. Ele prevê também o fortalecimento de vínculos e o papel da família no cuidado da educação das crianças na primeira infância”, disse Terra. Ao apresentar dados científicos sobre o desenvolvimento nos primeiros anos de vida, o ministro, que é médico, explicou que este é um período crucial de formação de redes de conexão cerebral. O governador Geraldo Alckmin destacou a característica do programa em dar atenção integral e intersetorial à primeira infância. “Governar é escolher e nós estamos escolhendo aqueles que mais precisam.” O governo de São Paulo receberá R$ 1,5 milhão para gestão do programa e capacitação de visitadores domiciliares. O secretário de Desenvolvimento Social de São Paulo, Floriano Pesaro, informou que o Criança Feliz será integrado ao programa estadual Família Paulista. “Ele articula as políticas do estado no enfrentamento da pobreza e nos territórios mais vulneráveis”, disse.


‘A eleição de 2018 já começou’, afirma Dilma na Suíça

'A eleição de 2018 já começou', afirma Dilma na Suíça

“A eleição de 2018 começou agora no Brasil”. Quem faz o alerta é a ex-presidente Dilma Rousseff que, numa entrevista à TV pública suíça, garante que não tem a intenção de voltar ao poder.  “Eu não vou voltar à presidência. Eu vou continuar fazendo política todos os dias de minha vida”, disse. “De agora até 2018, quero assegurar que o Brasil tenha um encontro correto com a democracia”, insistiu. “E que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva possa concorrer”, completou, lembrando que perder é parte da democracia. Nesta sexta-feira, 10, Dilma começou uma verdadeira campanha. Ela foi recebida por organizações internacionais, numa agenda programada para ocorrer no mesmo momento em que o Brasil reassumiu uma cadeira no Conselho de Direitos Humanos da ONU. A reportagem apurou que a diplomacia brasileira se mostrou profundamente irritada com o tratamento concedido pelas entidades à ex-presidente. Nos próximos dias, ela dará coletivas de imprensa, entrevistas para jornais europeus e falará em seminários para centenas de pessoas. Mas foi sua agenda diplomática que irritou o governo. Em Genebra, ela foi recebida pelo diretor máximo da Organização Internacional do Trabalho (OIT), Guy Ryder, na sede da própria entidade, com protocolo. A assessoria de imprensa da entidade se recusou a dar detalhes do conteúdo da conversa e avisou antes mesmo que não haveria nem foto do encontro. Ryder, antes do encontro, confessou à reportagem que acompanha de perto os acontecimentos políticos no Brasil. Dilma, que viajou acompanha por Marco Aurélio Garcia, também foi recebida pelo Conselho Mundial de Igrejas, entidade que também tem sede em Genebra e que tem se transformado em um local privilegiado de diálogos entre grupos de oposição. Em seu hotel, no centro de Genebra, a ex-presidente recebeu lideranças parlamentares da Suíça. Ela não usou carros oficiais durante a viagem, que ainda contou com uma equipe total de seis pessoas. De um a outro lugar, chamou táxi e chegou a questionar sobre como poderia chegar de ônibus. Mas fontes envolvidas na organização da turnê revelaram que sua visita foi considerada como um momento “delicado” para diversas entidades, que são obrigadas a manter boas relações com o governo brasileiro. Dilma ainda concedeu uma entrevista ao principal jornal da TV suíça, em horário nobre, e que vai ao ar no domingo. Neste sábado, ela ainda será a principal convidada de um festival de cinema, que se transformou no principal evento paralelo às reuniões de direitos humanos da ONU. Já na segunda-feira, ela dará uma palestra num dos principais centros de estudos internacionais da Europa. Ela falará sobre “a defesa dos direitos sociais na América do Sul”. Mais de 700 pessoas estão inscritas para assistir ao discurso. Enquanto a ex-presidente é recebida, o governo brasileiro passou os primeiros dias de seu novo cargo dentro da ONU insistindo no fato de que as instituições do Estado estão funcionando, que a democracia é sólida e que o devido processo de lei está sendo respeitado em julgamentos. Há uma semana, foi a vez da ministra de Direitos Humanos, Luislinda Valois, declarar que “o Brasil voltou”, ao subir no pódio da ONU. “Depois de um processo político difícil, o Brasil se levanta para mostrar ao mundo a robustez de nossas instituições, nosso apego à lei e à Justiça e, acima de tudo, o caráter aberto e democrático de nossa sociedade e de nosso sistema político”, disse. Nesta semana, em uma segunda intervenção, o governo brasileiro afirmou que “a promoção e proteção de direitos humanos incorporam valores fundamentais sobre os quais estão as fundações da legitimidade e democracia do Brasil”.


Fundador da escola de samba Mancha Verde é encontrado morto

Fundador da Mancha Verde é encontrado morto

Um dos fundadores da torcida Mancha Verde (que posteriormente passou a ser chamada Mancha Alviverde), Moacir Bianchi, foi encontrado morto a madrugada desta quinta-feira (2) em seu carro na Avenida Presidente Wilson, na altura do número 3100, no bairro do Ipiranga, Zona Sul de São Paulo. Ele levou 22 tiros, segundo o boletim de ocorrência, dentro do carro que dirigia. Bianchi tinha 48 anos. Biachi estava dentro de um carro Honda City preto no banco do motorista, com o corpo caído no banco do passageiro. Segundo o boletim de ocorrência, Bianchi levou cinco tiros na barriga, cinco no pescoço, três no ombro direito, um no rosto, um no lado direito do tronco, cinco no braço direito, um na perna direita e outro na cabeça. Uma testemunha relatou que quando Bianchi parou no semáforo, dois veículos pararam atrás deles. Os suspeitos saíram do carro que parou por último e fizeram os disparos. Os motoristas dos dois veículos deram marcha ré e fugiram. O caso está sendo investigado pelo Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). O carro da vítima está no 17º DP (Ipiranga). A Mancha Alviverde, principal torcida organizada do Palmeiras, anunciou nesta quinta-feira que encerrou suas atividades por tempo indeterminado. (Globo)


Prática do nepotismo será julgada pelo STF

ministroPrática do nepotismo será julgada pelo STF

Considerado por muitos porta para a corrupção na esfera pública e retrato de uma sociedade patrimonialista que remonta às Capitanias Hereditárias – onde as províncias eram distribuídas entre membros de uma mesma família –, o nepotismo voltou a ser pauta do Supremo Tribunal Federal (STF) e da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). Há cerca de dez dias, o ministro Marco Aurélio de Mello suspendeu a nomeação de Marcelo Hodge Crivella, filho do prefeito do Rio de Janeiro – Marcelo Crivella (PRB) – para o cargo de secretário-chefe da Casa Civil da prefeitura. Marco Aurélio entendeu que a nomeação feriu a Súmula Vinculante nº 13, baixada em 2008 pelo próprio STF, que vedou o nepotismo em todas as esferas da administração pública (direta e indireta) de todo o País. A redação da Súmula Vinculante nº 13 proíbe a nomeação de cônjuge, companheiro ou parente das autoridades responsáveis pelas nomeações, até o terceiro grau, ou dos servidores com cargo de chefia no mesmo órgão em que a vaga será preenchida. O que significa que maridos, esposas, companheiros, pais, avós, bisavós, irmãos, filhos, netos, bisnetos, sobrinhos, tios, sogros, sogras, cunhados, genros e noras, na condição de parente até terceiro grau de gestores, estão impedidos de exercer cargo em comissão, de confiança e, também, de função gratificada na administração pública, direta e indireta, da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios.
Nos últimos anos, porém, o Supremo Tribunal Federal vinha flexibilizando na interpretação da súmula e passou a admitir a nomeação de parentes para os chamados cargos políticos, como o de ministro e de secretário de estado ou município. A decisão do ministro Marco Aurélio Mello ainda será submetida ao plenário do STF. Mas se for acatada pelos demais ministros, será um freio de arrumação no preenchimento de cargos políticos no serviço público por parentes de gestores Brasil afora. Favorável a esta tese, o Conselho Pleno da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) aprovou, na terça-feira da semana passada, que irá ao Supremo pedir a ampliação do alcance da Súmula Vinculante nº 13. “O Direito está na direção de evoluir nas (interpretações e adequação das leis) e esta é uma oportunidade de corrigir a prática do nepotismo, uma realidade em grande parte dos municípios brasileiros”, afirma o advogado baiano Fabrício de Castro. Conselheiro federal da OAB, Castro deu voto favorável à proposta do conselheiro Flávio Pansieri (PR) de vedar a prática do nepotismo nos chamados cargos de natureza política. Fabrício de Castro assinala que o nepotismo e seus privilégios infringem o princípio de que todos são iguais perante a lei, além de se contrapor à meritocracia. “Nós estamos num momento no País em que o administrador público não basta ser honesto, tem que parecer honesto”, compara o conselheiro federal da OAB-BA. Em seu voto, o conselheiro federal e relator Silvio Pessoa de Carvalho Júnior (PE) acata a tese do colega Pansieri e afirma, em sua conclusão, o seguinte: “Tais atributos demonstram que não se pode tolerar o nepotismo em todo e qualquer cargo, emprego ou função públicos. Por esta razão, é irretorquível a necessidade de se elastecer a compreensão do enunciado sumular para alcançar ocupantes de cargos políticos, em prol dos postulados republicanos da igualdade e ainda dos princípios da moralidade, da eficiência e da impessoalidade administrativas”. No site do Ministério da Transparência, Fiscalização e Controladoria-Geral da Uniâo (CGU) é informado que além do nepotismo direto – aquele em que a autoridade nomeia seu próprio parente –, há o chamado nepotismo cruzado. Neste caso, explica a CGU, o agente público nomeia pessoa ligada a outro agente público, enquanto a segunda autoridade nomeia uma pessoa ligada por vínculos de parentescos ao primeiro agente, como troca de favores.


Site do Senado já recebeu mais de 900 perguntas para sabatina de Moraes

 Site do Senado já recebeu mais de 900 perguntas para sabatina de Moraes

Além dos senadores, cidadãos também poderão participar da sabatina do indicado a ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes, que está prevista para esta terça-feira, 21, às 10h. Até agora, o site do Senado já recebeu mais de 900 manifestações, entre perguntas e comentários, direcionados ao indicado. A sabatina acontecerá na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado e qualquer cidadão poderá enviar perguntas pelo site do Senado ou por telefone. As perguntas serão escolhidas e colocadas pelo relator do processo, o senador Eduardo Braga (PMDB-AM). Outros senadores também poderão ler perguntas enviadas pelos cidadãos. O ministro licenciado da Justiça terá de responder perguntas sobre seu currículo, seus posicionamentos jurídicos e políticos. Quem quiser enviar questões para Moraes, basta acessar o Evento Interativo, no Portal e-Cidadania, neste link: https://www12.senado.leg.br/ecidadania/visualizacaoaudiencia?id=1 0297. Outra opção é pelo telefone 0800 61 22 11. A ligação é gratuita. A primeira sabatina com participação dos cidadãos aconteceu no dia 12 de maio de 2015, quando Luiz Edson Fachin foi indicado para Ministro do STF pela ex-presidente Dilma Rousseff. O evento recebeu mais de 640 comentários e perguntas que foram encaminhadas ao relator e aos senadores da Comissão. (Estadão Conteúdo)