Bolsonaro e Marina cressem na preferencia dos evangélicos e Lula diminui .

Datafolha: Lula reduz margem com evangélicos; Marina e Bolsonaro crescem

A influência do eleitorado evangélico pode reduzir a margem de conforto do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) na corrida presidencial e ampliar a vantagem do deputado federal Jair Bolsonaro (PSC) e de Marina Silva (Rede), de acordo com pesquisa do instituto Datafolha realizada no final de setembro. Ele obtém ao menos 35% das intenções de voto no panorama geral dos cenários, mas vai a 29% em uma simulação só com evangélicos em sondagem estimulada (quando são exibidos cartões com nomes de candidatos. Católicos ainda são a maioria no país, mas o número vem diminuindo – de 90% nos anos 1980, passaram a 52%. Os evangélicos representam a segunda maior parcela, com 32%. No primeiro quadro, sem Ciro Gomes (PDT) e o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), Lula lidera com 36% (32% se considerando só os evangélicos), seguido de Bolsonaro com 16% (subindo para 21% entre os evangélicos) e de Marina, que tem 14% na parcela geral e 17% entre os evangélicos. No cenário 2, sem o prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB) e sem Ciro, Lula obtém 35% (geral) e 29% (evangélicos). Bolsonaro melhora o desempenho, com 17% (geral) e 22% (evangélicos); e Marina fica com 13% e 17%. No cenário 3, sem Lula e Alckmin, Marina lidera com 23% (27% entre evangélicos), seguida por Bolsonaro, com 18% (23% entre evangélicos). João Doria obtém 10% (9% no meio evangélico), quase a mesma pontuação que Ciro (10%;8%). Nesta consulta, que entrevistou 2.772 pessoas em 194 cidades, entre os dias 27 e 28 de setembro; Lula tem a maior rejeição: 42% no total, 46% se considerados somente evangélicos. Bolsonaro é rejeitado por 33% do eleitorado, mas menos rechaçado entre evangélicos (27%). O mesmo acontece com Marina (26%; 21%). No caso de Alckmin, o patamar é semelhante (31%; 28%); assim como Ciro (27%; 27%), Doria (25%;22%), Fernando Haddad (29%; 29%) e Rodrigo Maia (30%; 30%). A margem de erro é de 2 pontos percentuais para mais ou para menos.


Com mais de 35 mil inscritos, concurso para o MP terá provas neste domingo (22)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O concurso do Ministério Público da Bahia (MP-BA), que tem 61 vagas para os níveis médio e superior, teve 35.627 mil inscritos. As provas seletivas serão realizadas no domingo (22). Os locais onde serão realizados os exames estão disponíveis na internet, no site da empresa organizadora do certame.

 

O horário das avaliações foi disponibilizado no cartão de confirmação da inscrição. Confira o edital do concurso. Conforme o MP, dos inscritos, 32.138 concorrerão às 50 vagas disponíveis para o cargo de assistente técnico-administrativo e 3.489 às 11 relativas ao cargo de analista técnico. Serão classificados candidatos até dez vezes o número de vagas ofertadas.

 

O número de contratados pode ser maior que o de vagas oficiais, segundo o órgão. As remunerações iniciais são de R$ 3.284,83 para nível técnico e R$ 5.917,44 para o nível superior, além de auxílio-alimentação e auxílio-transporte, se for o caso. A jornada semanal é de 40 horas de trabalho. Para os cargos de analistas serão cobrados temas como conhecimentos básicos em Língua Portuguesa, Legislação Aplicável ao MP baiano e conhecimentos específicos para cada área.

 

No caso dos assistentes, serão cobrados conhecimentos básicos em Língua Portuguesa, Raciocínio Lógico e específicos em Direito Administrativo, Noções de Administração e Legislação Aplicável ao MP. As 11 vagas para analista estão distribuídas entre as especialidades de Pedagogia (2), Psicologia (2), Serviço Social (2), Tecnologia (1), Estatística (1), Letras (1), Engenharia Sanitária (1) e Engenharia Florestal (1). O concurso tem prazo de validade de 18 meses, prorrogável uma única vez por igual período.


Começa o horário de verão: 10 estados e DF adiantam o relógio em 1 hora

Começa o horário de verão: 10 estados e DF adiantam o relógio em 1 hora

O horário de verão começou à 0h deste domingo (15) em dez estados e no Distrito Federal. Moradores das regiões afetadas devem adiantar o relógio em uma hora. O ajuste aconteceu nas regiões Sul (Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná), Sudeste (São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Espírito Santo) e Centro-Oeste (Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Distrito Federal) e ficará em vigor até o dia 18 de fevereiro do ano que vem. O horário de verão foi instituído para economia de energia. O objetivo é o melhor aproveitamento do período de luz solar. Neste ano, um estudo do Ministério de Minas e Energia indicou que o programa vem perdendo efetividade e o governo federal chegou a avaliar o fim do horário de verão. Segundo a análise, a economia está mais ligada às altas temperaturas do que à luminosidade. Contudo, como o país enfrenta um período de estiagem, o governo entendeu que qualquer economia é válida. (Noticias ao Minuto)


CGU avalia regularidade dos pagamentos do seguro defeso ao pescador artesanal

Trabalho identificou sistemas vulneráveis e utilização para fins eleitorais. Não há monitoramento dos beneficiários. Dos entrevistados, 66% recebem indevidamente
CGU recomendou que elementos objetivos para conceituação de pesca comercial sejam incluídos nos normativos do registro do pescador

CGU recomendou que elementos objetivos para conceituação de pesca comercial sejam incluídos nos normativos do registro do pescador

O Ministério da Transparência e Controladoria-Geral da União (CGU) divulga o resultado da avaliação sobre os pagamentos do Seguro Desemprego ao Pescador Artesanal (Seguro Defeso). O objetivo da auditoria foi avaliar a regularidade dos beneficiários inscritos no Registro Geral da Atividade Pesqueira (RGP); a segurança da base de dados; o processo de concessão de licenças de pesca; bem como a rotina de fiscalização adotada pelo órgão responsável – antes a cargo do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), mas, desde maio de 2017, em razão da MP nº 782, transferida ao Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC).

Acesse o relatório na íntegra 

Acesse os dados regionais (estados e municípios)

O tema foi selecionado em razão de sua materialidade (volume de recursos envolvidos) – o pagamento do Seguro Defeso mais que triplicou de valor, passando de R$ 602 milhões em 2008 para quase R$ 2 bilhões em 2015. No mesmo período, houve aumento de 92,4% no número de inscritos no RGP, atingindo a marca de 1.052.711 pescadores artesanais cadastrados. 

Constatações

Para a condução da auditoria, a CGU visitou as residências e realizou entrevistas com 2.315 cadastrados no RGP como beneficiários do Seguro Defeso, distribuídos em 126 municípios. Entre as irregularidades encontradas, destacam-se:

  • Pagamentos Indevidos de Seguro Defeso: 66% dos entrevistados, embora indicados como exclusivamente pescadores, não exerceram a pesca no período analisado pela entrevista (2013 e 2014), ou praticaram outras atividades remuneradas, geralmente informais, tendo a pesca como atividade complementar.
Seguro Defeso 1
  • Cadastros Irregulares no Sistema do RGP (SisRGP): os controles existentes no sistema são vulneráveis e não evitam a ocorrência de falhas no cadastro dos pescadores, nem mitigam os riscos de exploração das vulnerabilidades. Destaca-se que logins e senhas de acesso de servidores eram utilizadas por funcionários terceirizados, com ou sem o consentimento dos titulares.

    Tal fragilidade na base de dados do SisRGP permitiu um pico na quantidade de registros (24.430) justamente no mês anterior ao do pleito eleitoral de 2014. O mesmo não foi observado no mês de setembro de 2013 (3.214 inscrições). O fato reforça a tese de que o cadastro esteja sendo utilizado para fins alheios aos que direcionam a política pública.

Seguro Defeso 2
Fonte: Base de dados do sistema SisRGP
 
  • Ausência de Fiscalização: o órgão responsável pelo Seguro-Defeso não verifica se os registrados são de fato pescadores. Não há manual de procedimentos (com o fluxo desde o recebimento até a emissão da carteira de pescador artesanal), nem rotina de monitoramento e inspeções periódicas dos beneficiários inscritos no RGP.
  • Inadequação dos Processos de Cadastramento: foram verificados problemas nas superintendências que impactaram diretamente na fidedignidade das informações constantes no RGP. Tais falhas se estendem desde a análise da documentação apresentada pelos requerentes na ocasião de sua inscrição até a conformidade dos dados inseridos no SisRGP.

Diante do constatado, foi concluído que o registro do pescador não possui efetividade, sob o aspecto de que a informação registrada não é confiável para reverter em benefícios para a gestão pesqueira, e é ineficiente em nível intolerável para justificar a manutenção da política pública nos moldes atuais. Tal irregularidade é agravada pela ausência de fiscalização do registro, pela ausência de definição de critério objetivo de renda para caracterizar a pesca com fins comerciais e pela inexistência de penalidades para as entidades representativas que apresentam documentação não fidedigna ao órgão responsável pelo registro.

Recomendações e atuação conjunta

A partir das constatações levantadas, a CGU recomendou que, durante processo de recadastramento dos inscritos, sejam incluídos, nos normativos do registro do pescador, elementos objetivos para conceituação de pesca comercial. Também se recomendou que fossem criados mecanismos de responsabilização das entidades representativas de pescadores quanto à veracidade das informações prestadas; que institucionalizasse um Plano Nacional de Fiscalização do RGP; e que adotassem estratégia de divulgação local nos municípios mais críticos e outras medidas de transparência pública visando a esclarecer sobre as regras do registro e das situações consideradas irregulares.

Além de expedir recomendações para os gestores da política pública, a CGU tem atuado no âmbito do Comitê de Monitoramento e Avaliação de Políticas Públicas Federais (CMAP) para aperfeiçoar a política pública e corrigir as fragilidades apontadas. Um dos benefícios obtidos foi a publicação do Decreto nº 8.967, em janeiro deste ano, que estabelece melhorias nos critérios de inscrição no RGP e de concessão do benefício do Seguro-Defeso. O normativo foi assinado pela Presidência da República, MAPA, Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário (MDS) e Ministério do Meio Ambiente (MMA).

A CGU permanece na busca conjunta por soluções e realiza sistemático acompanhamento da adoção das providências por parte dos gestores responsáveis.


MPF pede prisão preventiva de Nuzman; dirigente está detido desde a quinta-feira

MPF pede prisão preventiva de Nuzman; dirigente está detido desde a quinta-feira

O prazo da prisão temporária do presidente afastado do Comitê Olímpico Brasileiro (COB), Carlos Arthur Nuzman, se encerra nesta segunda-feira (9). Com isso, o Ministério Público Federal (MPF) pediu a prisão preventiva, para que o dirigente fique mais tempo na cadeira. Caso convertida, a prisão se dará por tempo indeterminado. O pedido será analisado pelo juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal do Rio. Nuzman está preso desde a última quinta-feira (5). Os procuradores da força-tarefa da Lava Jato no Rio de Janeiro também pediram a prorrogação da prisão do ex-diretor do COB e do Comitê Rio 16, Leonardo Gryner, braço direito de Nuzman. Ele também foi preso na operação Unfair Play.


Vigia ateia fogo em creche e mata 4 crianças em MG

Sala de aula ficou destruída após o crime
(Foto: Natália Jael/Inter TV Grande Minas)
Quatro crianças morreram queimadas em uma creche em Janaúba, no Norte de Minas Gerais, na manhã desta quinta-feira (5). Segundo informações da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros, o guarda do Centro Municipal de Educação Infantil Gente Inocente, no Bairro Rio Novo, jogou álcool em crianças e nele mesmo e, em seguida, ateou fogo.
Vigia chegou a ser internado numa unidade
hospitalar, mas morreu
(Foto: Polícia Civil/Reprodução)
O agressor chegou a ser internado, mas morreu horas depois. As vítimas não tiveram as identidades divulgadas. Inicialmente, a Prefeitura de Janaúba havia informado que uma das professoras da creche morreu. A informação havia sido confirmada com a família dela. No entanto, o hospital disse que ela está viva e é uma das pessoas feridas internadas. De acordo com a assessoria do Hospital Regional de Janaúba, cerca de 40 pessoas foram atendidas pela unidade – 25 delas foram internadas com queimaduras e 15, que estavam em estado de choque, já foram liberadas. Entre os pacientes internados, 14 são crianças com idades entre 4 e 5 anos. Também há funcionários da creche entre os feridos. Todos eles tiveram mais de 20% do corpo queimado. Quinze pessoas respiram com a ajuda de aparelhos. (Informações do G1)

Deputado sai de casa de pijama pouco antes da chegada da Polícia Federal

As câmeras de segurança do prédio onde mora o deputado estadual Gilmar Fabris (PSD), preso há duas semanas na Operação Malebolge, flagraram o político saindo às pressas de casa, em Cuiabá, pouco antes da Polícia Federal (PF) chegar ao local. No dia 14 de setembro, os agentes cumpriam um mandado de busca e apreensão determinado pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Após pedido da Procuradoria-Geral da República (PGR), autorizado pelo ministro do STF Luiz Fux, Fabris acabou sendo preso. Na solicitação, o órgão afirmava que o deputado soube da operação e por isso decidiu deixar o apartamento. Ele está preso no Centro de Custódia da Capital (CCC). O vídeo mostra o político e a esposa pegando o elevador às 5h34. De pijama e chinelos, ele carrega uma mala. O casal deixa o prédio de carro 20 minutos antes da chegada da PF. Quando questionados sobre as imagens, os advogados de defesa disseram que o deputado explicará em juízo. A Operação Malebolge investiga corrupção passiva, lavagem de dinheiro, sonegação de renda e organização criminosa por receberem “mensalinhos” para facilitar projetos e obras do governo do Mato Grosso. Além de Frabis, outros sete deputados do Estado foram alvo da operação. Os crimes foram denunciados pelo ex-governador de Mato Grosso, Silval Barbosa (PMDB). Este não é a primeira vez que o deputado é visto em situação comprometedora. Ele também apareceu reclamando do valor de uma suposta propina em imagens entregues à PGR por Barbosa.


Canoísta da seleção brasileira desaparece após sair para remar em SP

O canoísta Diego Bichir está desaparecido desde a última sexta-feira (28), quando saiu para remar no canal de Bertioga, no litoral paulista. O atleta, que faz parte da seleção brasileira de remo, estava se preparando para defender o país no campeonato sul-americano, no Peru, em novembro. De acordo com informações do G1, o remo e a canoa usadas por Bichir foram encontradas ainda na sexta. Neste domingo (1º), o O Grupamento de Bombeiros Marítimo (GBMAR) continua as buscas pelo atleta, com suporte do helicóptero Águia da Polícia Militar. A família do canoísta afirma que ele saiu para treinar sozinho no dia do desaparecimento. Seu último contato com conhecidos foi feito com a avó e um primo. “A família se apega a qualquer esperança. Estamos procurando em terra também porque ele era muito experiente no mar”, disse a prima, Adriane Bichir. (Noticias ao Minuto)

Neymar, Messi e Cristiano Ronaldo são finalistas ao prêmio de melhor do mundo

Montagem: Divulgação / FIFA
Jogador mais caro da história, Neymar conseguiu entrar na lista dos finalistas ao prêmio de melhor jogador do mundo, que será eleito pela Fifa na próxima edição da premiação. O brasileiro que deixou o Barcelona para ser o protagonista principal do Paris Saint-Germain foi oficialmente confirmado como um dos três concorrentes à honraria ao lado de Lionel Messi, seu ex-companheiro de Barça, e Cristiano Ronaldo, astro maior do Real Madrid. Os nomes foram anunciados nesta sexta-feira (22) e o vencedor será conhecido numa festa de gala em outubro, em Londres. Neymar havia sido um dos finalistas de 2015, mas ficou fora do grupo de candidatos finais da premiação em 2016. Desde a edição do ano passado, a Fifa fez mudanças importantes na escolha dos vencedores. O acordo com a France Football terminou, o que significou que o termo “Bola de Ouro” como nome da premiação, tornado conhecido por meio da revista francesa, deixou de ser usado.
A entidade, conforme o Estado revelou com exclusividade em outubro, ainda abriu a votação para os torcedores, via internet. Mas o que não mudou foi a dupla de finalistas. Na última década, o troféu de melhor do mundo tem sido dominado por Messi e Cristiano Ronaldo. O argentino ganhou todas as edições da premiação entre 2009 e 2012, além de 2015. Já o português ficou com a honraria em 2008, 2013, 2014 e 2016. Para 2017, Cristiano Ronaldo é o favorito depois da conquista da Liga dos Campeões e de outros feitos com a camisa do Real Madrid. Agora, pode se igualar a Messi em troféus individuais desta premiação e passar a também ostentar os mesmos cinco possuídos pelo argentino. A novidade principal do anúncio da Fifa, porém, foi a presença de Neymar entre os três principais candidatos ao prêmio. Em 2015, ele havia conseguido atingir o pódio, acabando com um jejum de oito anos sem brasileiros entre os finalistas. E desta vez o brasileiro também espera contar não apenas com o voto dos demais jogadores, imprensa e treinadores, mas principalmente da torcida. Pelas novas regras da Fifa, o voto da torcida pela internet vai ter um peso de 25% na decisão final. A esperança do staff do jogador é de que a torcida brasileira e do PSG possam fazer a diferença. Neymar ainda pode entrar na lista dos 11 melhores do ano, o que a Fifa considera como a “seleção de 2017”. A Fifa ainda escolherá o gol mais bonito do ano. Mas, entre os dez candidatos, não há brasileiros entre os finalistas desta vez. Numa nova categoria, a entidade que controla o futebol mundial escolheu também uma lista de finalistas entre os goleiros. O prêmio ficará entre Gianluigi Buffon, Keylor Navas e Manuel Neuer.

Jaques Wagner pede a Fachin para não enviar inquérito a Sergio Moro

Foto: Clara Rellstab/bahia.ba
Foto: Clara Rellstab/bahia.ba

 

A defesa do ex-governador Jaques Wagner pediu ao ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), o “arquivamento imediato” das investigações relativas ao crime de organização criminosa.

O petista argumenta que só existe uma citação contra ele na delação premiada do dono da UTC Ricardo Pessôa, na qual o empresário fala que fez apenas doações legais sem relação com ilícitos.

A Procuradoria-Geral da República, quando apresentou a denúncia do chamado quadrilhão do PT, pediu que as apurações sobre Wagner fossem enviadas ao juiz federal Sergio Moro, da 13ª Vara em Curitiba – o ex-governador não consta entre os denunciados ao STF.